Antes de vos falar do creme de pera, e do kuzu (ein?) pergunto: Como vai esta semana de limpeza? Hum, ainda não começaram? Não tem problema, podem sempre fazê-lo na semana que vem, o que é importante é arrancar, e sobretudo, levar a sério. Se, no entanto começaram, parabéns. Pensem que 15 dias, em 365 que tem o ano, não são nada. E podem, no entanto, ser tudo, se com isso melhorarem o vosso bem-estar.

Como sei que há falta de doces nesta altura, decidi trazer-vos uma receita extremamente rápida, que pode acalmar esses desejos selvagens por um grão de açúcar (falo sempre da minha própria experiência) , e que, ainda por cima, relaxa e faz bem ao estômago (demasiado incrível, não é?)

Ora bem, trata-se de um cremezinho caseiro de pêra (ou da fruta que vos apetecer) feito com um ingrediente chamado kuzu, do qual já vos falei aqui no blog.  O kuzu, lembro, é um amido de uma planta e é usada, na medicina natural, para fortalecer a unnameddigestão, acalmar a acidez do estômago, reforçar o sistema imunitário (é óptimo para travar  uma constipação) e as últimas investigações dizem-nos que ajuda em tratamentos contra alcoolismo  (podem ler um artigo publicado pela universidade de Harvard, sobre isso mesmo, aqui) .  E ainda por cima o kuzu é (como o amido de milho) um excelente engrossante. Ou seja, serve
para, na cozinha, fazer todo o tipo de molhos, cremes, e outras experiências malucas (a cozinha molecular gosta muito de brincar com o kuzu.)
O kuzu vem em forma de  pedrinhas brancas, que vêm, habitualmente, em pacotes de plástico, que se compram em lojas de produtos naturais. Não é um ingrediente barato, mas pode usar-se com moderação, e rende bastante. Então, agora que conhecemos melhor o kuzu, vamos ao nosso super delicioso creme de pêra? Sim?

Precisamos de :

1- SUMO DE PERA  (que podem fazer em casa com uma máquina de sumos, sem adicionar água, ou então podem comprar já feito, em pacotes, em alguns supermercados, mas, por favor, que não tenha açúcar adicionado).

2- KUZU (uma colher de sopa bem cheia, por cada copo de sumo de fruta)

 

O Kuzu deve ser moído até ficar feito pó (eu uso um pilão de madeira, porque é mais rápido, mas podem ter mais paciência que eu, e ir desfazendo com os dedos, sem se preocuparem se, no processo, ficarem com mãos e roupa completamente brancos, porque sai facilmente). Depois de terem o kuzu desfeito, misturem bem num copo do sumo de fruta.

Ponham esse copo, como o kuzu bem misturado lá dentro, numa panela, e juntem o resto dos copos de sumo que pretenderem cozinhar (não se esqueçam que a medida, para que fique ao estilo “puré” tem que ser uma colher de sopa bem cheia por copo de sumo). Em princípio o líquido há de ficar branco. E agora vai tudo na panela,  onde deve ficar a cozinhar a lume médio, enquanto MEXEM sempre (mexer é importante para não ficarem grumos).

E basicamente é isto: O sumo vai passando de líquido a creme, como se fosse magia. E já está! Eu adoro a consistência, e adoro comer ainda quente. Se sobrar, podem aquecer no dia a seguir, com um bocadinho de  nada de água    (não ponham muito para não tirar o sabor da fruta). Asseguro que isto vos acalma as ânsias de doces, pelo menos durante um bocado de tempo. Podem servir simples ou com um pouco de canela.

unnamed-3

unnamed-4

unnamed-5

unnamed-9