A Pequena Sereia ensinou-nos que no fundo do mar é que se está bem, e tem razão, pelo menos no que toca a alimentos. É que as algas são um dos ingredientes que deveríamos incluir no prato várias vezes por semana por ter altos níveis de iodo  cálcio, vitaminas, minerais  e ainda por cima são saborosas e não engordam. Há algumas pessoas que torcem ao nariz às algas por não ser uma coisa habitual na cozinha tradicional. Para esses basta pensar que as algas são, nada mais nada menos, que vegetais que chegam do mar. Tal e qual os vegetais que há na terra. Esses. E porque incluir algas no prato? Porque, como já vos disse lá em cima, têm uma quantidade assombrosa de cálcio (mais que os produtos lácteos, até) ferro, oligoelementos (elementos químicos essenciais para os seres vivos) e têm hidrato de carbono, vitaminas e proteínas. Quem diria? Tão pequeninas que são algas, não é?  E capaz de conter até as 50 doses diárias de iodo recomendadas e 10 de cálcio! E para quem não sabe, o iodo é um daqueles elementos mágicos que ajuda a regular a nossa tiróide e a manter-nos rijos, cheios de energia, sem dores de cabeça e com um metabolismo a funcionar na perfeição.

As algas são recomendadas para casos em que é preciso desintoxicar (a manhã seguinte a uma festa rija ou para pessoas que trabalham com materiais tóxicos ou no meio da cidade poluída, por exemplo) ou para ajudar a recuperar de um simples resfriado. E são recomendadas, também, quando temos unhas e cabelos enfraquecidos ou dores nas articulações. Pode ser para alguma destas situações mas eu acho que não é preciso nenhuma razão especial para se comer algas, o seu sabor já o justifica. Podem usar-se em saladas, dentro do arroz (da-lhe um toque maravilhoso), na sopa (eu costumo meter na do meu filho Pedro, com muita frequência, por causa do cálcio que as algas têm) ou como simples acompanhamento.

Há um sem fim de variedades, umas mais baratas que outras (há de facto algumas bastante caras e essas eu costumo deixar de fora). Deixo-vos aqui as mais afamadas e que, por acaso, eu mais uso. Todas elas são facilmente encontradas em lojas de alimentação saudável.

Wakame unnamed-6

Além dos benefícios que são comuns a todas as algas, a Wakame é recomendada a pessoas que têm tensão arterial alta e a
mães que ainda estão a amamentar, pela sua alta concentração de nutrientes. Costuma ser vendida desidratada, mas deixo-vos o conselho de a deixarem de molho alguns minutos antes de servirem porque assim recupera a frescura e o sabor é mil vezes melhor. Fica muito bem a acompanhar saladas ou numa sopa miso (onde é muito usada)

unnamed-3Kombu

É a minha favorita, pois adoro o sabor, não é cara (tendo em conta a quantidade que vem no saquinho) e ainda por cima tem uma propriedade que, escutem bem, é bastante útil: Amacia as leguminosas que assim provocam muito menos gases depois de ingeridas (quando voltarem a cozinhar feijão, metam lá dentro um bocado de kombu, para além de estarem a enriquecer a água da fervura, a vossa digestão vai agradecer). Atenção a quem tem problemas na tiróide, porque esta  é a alga que tem níveis mais altos de iodo.

Hiziki

A alga hiziki é consumida desidratada e parece-se com galhos secos. Não se deixem assustar pelo aspecto, a Hiziki tem um unnamed-5
monte de benefícios como ajudar a regular o sistema digestivo, ajudar na prevenção de diabetes e aumentar os níveis de energia. É óptima a acompanhar saladas e salteados de vegetais, mas também pode ser adicionada a hambúrgueres de tofu ou de feijão para dar algum sabor e aumentar o valor nutricional. A hiziki é óptima para reforçar o cabelo, embora não é barata, por isso é daquelas raridades que só de vez em quando aparecem em casa.

Nori

Os aficionados do sushi com certeza que conhecem esta alga porque é aquela que é usada para fazer os rolinhos de arroz. No entanto, esta é apenas uma das maneiras de a usar. Eu costumo usar para dar sabor a noodles e para complementar alguns pratos de vegetais, ou mesmo para dar um toquezinho aos grãos cozidos. É a alga com menos iodo, por isso pode ser comida por pessoas com hipertiroidismo (com conta, peso e medida, é claro!). Tem imensa proteína, cálcio e fibra, e é muito rica em ferro. Uso-a para fazer lanches, enrolando bocados de arroz integral com ela (mais ou menos como no sushi). O que faço é meter lá dentro algo que me agrade, por exemplo manteiga de amendoim, dentro de uma bolinha e arroz, e cubro com a alga nori.  Fica de sonho. Outro bom uso da alga Nori é na sopa, pois é muito maleável . Atenção que se não a comprarem tostada (diz no pacote) têm que a tostar antes de a consumir.

Arame

É muito comum encontra-la dentro de saladas, se forem comer a um sítio onde usam algas, claro. É muito fininha e tem um unnamed-4sabor pouco acentuado,  e por isso pode usar-se em muitos pratos sem que seja um grande choque de sabor.  Esta alga deve demolhar-se antes de usar, e depois disso cozinha-se (pode ser a  vapor) Como as outras algas, tem iodo, cálcio, e ferro e vitamina A.  É boa para a digestão.

 

 

Agar-Agar

agar agarÉ obtido de várias algas marinhas e tem um aspecto  transparente que se vende em flocos, placas ou fios, e serve para engrossar a comida, porque tem propriedades gelificantes com a acção do calor. É assim que faço gelatina, pudins e mousses lá em casa. O agar-agar é cara como o raio (desculpem mas é o que penso cada vez que vou comprar) mas rende bastante e é uma alternativa para não cozinhar sobremesas com produtos animais (especialmente não usar gelatina recorrente que é feita com a pele, tendões, ligamentos e ossos de vacas e porcos, auchhhhhhh!) . Ainda por cima a gelatina feita com agar-agar não se derrete na temperatura ambiente. Espectáculo.  A agar-agar tem pouquíssimas calorias e ajuda a eliminar gorduras (portanto, emagrece).

 

 

E há muitas mais

Para além de todas  estas, poderão encontrar muitas outras algas à venda. Acho que já devem ter ouvido falar da spirulina e unnamedda clorela, certo? Ficaram as duas muito de moda de há uns anos para cá. Para além disso têm imensas algas  na secção especializada de qualquer loja de produtos de alimentação saudável. Eu uso, para além das que já falei, de uma outra que tem um nome engraçado : esparguete do mar. Poderão entender porque se chama assim olhando para o seu aspecto.  Se tiverem alga mais para acrescentar (piada) poderão fazê-lo nos comentários deste post.