Cereal a ter em casa ? Millet. Sempre. E porque? Porque é uma espécie de cereal/remédio caseiro, tudo num só. O millet, como vos conto no vídeo, e não me canso de falar disso a toda hora, tratou-me um problema chato de estômago e desde então que o tenho sempre por perto. E o millet é magnífico para isso mesmo: Tratar de problemas digestivos e  desarranjos intestinais, e com crianças é óptimo porque é suave e tem um sabor bastante neutro (Para a clássica frase: “Mamá, doi-me a barriga!” o millet é uma solução).  É o  cereal mais alcalinizante e,  para além disso, é óptimo para repor minerais (desportistas, aqui está uma rica coisa para comer depois dos treinos) , tem proteínas, imenso fósforo, vitaminas, e muita  fibra. O millet é o cereal mais adequado para tratar o pâncreas e é bastante recomendado, na dieta macrobiótica, para as diabetes.  Outras duas coisas importantes: Não tem glúten e a sua quantidade de fibra cria a sensação de saciedade e pode ajudar em dietas de emagrecimento.

O millet  pode servir para acompanhamento (explico como se cozinha, para este fim, no vídeo) para fazer puré (também lá está essa fórmula) alegra qualquer sopa, e por ser tão maleável e pequenino pode também ser usado para fazer almôndegas, hambúrgueres, recheios, empadões, barrinhas de cereais  e óptimos pequenos almoços (também se vende na versão “tufado” )

O millet tem um preço razoável, pode encontrar-se em lojas dietéticas , nalguns hipermercados na zona da comida saudável, e ainda nalgumas lojas vendido a granel (a minha forma favorita porque é a mais ecológica e  barata). E depois disto é comprar millet para ter sempre na despensa.